sábado, 30 de Janeiro de 2010

A 4ª e 5º velocidade


Já com perto de 700 kms feitos (falta pouco para a revisão dos 1000 km), tenho reparado que na 4ª velocidade a 8000/8500 rpm, a mota "pede" a 5ª, Depois de engrenada a 5ª velocidade, basta apanhar um ligeira subida (3%), a mota começa a perder a rotação do motor e tenho que reduzir. Isto deve-se ao facto do carreto da 5ª velocidade ter uma relação de 0,98. Com isto, e depois de ter trocado impressões com um mecanico de motas (profissional) de enduro, cheguei à conclusão da necessidade de "esticar" a 4ª e a 5ª velocidade durante os primeiros 2000 kms. Desde que o comecei a fazer, começo a notar, que aos poucos a mesma velocidade em determinada mudança vai "acamando" (baixando) um pouco a rotação. É normal até o motor e caixa de velocidade estabilizarem a nível curso de pistão e jogo de carretos.


Boas voltas, o tempo já começa a melhorar.

E o que interessa não é chegar depressa, mas sim regressar.

sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Pequenas Alterações e Afinações

Algumas fotas da minha KEEWAY SUPERLIGHT 125 cc






Logo quando comprei a mota, mandei instalar um encosto para o pendura, porque além do conforto para quem vem a pendura, dá outro aspecto à traseira da mota.
Tirei a viseira, pq provoca muita resistência ao vento e além disso destapa os manómetros.
Cortei o parafuso que impedia o descanso lateral (pé de cabra) de se fixar. Desbastei o batente do descanso central para este subir mais quando está recolhido.
Para impedir que o parafuso que prende o adorno que imita a entrada de ar de uma Harley, se desaperte com a vibração do motor, envolvi-o em teflon e voltei a apertá-lo.
No início o acelerador tem a tendência a ficar com uma folga grande, o que é normal, e a sua afinação torna-se muito facil.

A Primeira Voltinha

No dia 10 de Janeiro, fui trabalhar, resolvi então ir na mota. De manhã com temperaturas baixas, lá fui então fazer uns Kilometros. Pode-se dizer que é uma mota que se conduz com muita facilidade e faz as curvas com muita segurança (mais segura a curvar que a intruder 800), embora lhe sinta a falta de mais uns Cv (estava mal habituado). Acabei por fazer nesse dia 180 Kms, e fiquei surpreendido com a segurança de condução e acima de tudo do conforto que a mota oferece.

Compra de Mota

À 13 anos que não andava de mota, desde um acidente que tive com uma Suzuki Intruder 800 cc, mota com a qual andei 3 anos.
No início de Janeiro, decidi então voltar a comprar uma chopper, e ía decidido a procurar uma Intruder 800 cc com 5/6 anos, mas quando encontrei na net a KEEWAY SUPERLIGHT 125 cc, achei a mota bonita, e resolvi então ir vê-la num vendedor de motas conhecido aqui na zona.
No dia 2 de Janeiro, lá fui e desde logo fiquei maravilhado com a mota, embora com muitas duvidas: como é que uma mota com 125 cc "pode" com o corpo de "uma" 650 cc, e o preço (1997,00 €) mais me levou a desconfiar. Mas também reparei, que, com esta mota não haveria tentações, porque é limitada em termos de velocidade. Decidi, então comprá-la. Na quarta-feira seguinte fui buscá-la.